Disciplinas em curso:
Selecione a disciplina para acessar o
material disponível

 

 

 

 

USUÁRIOS DA INFORMAÇÃO E PRÁTICAS INFORMACIONAIS

Busca-se, nesta disciplina, fazer um paralelo entre os estudos de usuários da informação e o desenvolvimento da Ciência da Informação. Dessa forma, os estudos de usuários são classificados em três abordagens: os estudos da abordagem tradicional, predominantemente quantitativos e realizados a partir de uma visão funcionalista, correspondendo ao paradigma físico da CI. Nesta abordagem a informação é um ente objetivo que transmite o mesmo significado a todos os tipos de usuários. Os estudos têm como foco o momento em que o usuário entra em contato com um sistema de informação, desconsiderando fatores que provocaram esta interação e suas consequências. Os estudos da abordagem alternativa ou cognitiva passam a considerar os aspectos cognitivos e emocionais dos usuários e correspondem ao paradigma cognitivo da CI. Nesta perspectiva, o usuário assume um papel ativo, se envolvendo em todas as etapas do processo de busca de informação, e a informação é compreendida como uma entidade subjetiva, que não transmite um significado constante, mas à qual os usuários interpretam e dão significado de acordo com sua visão de mundo. São também referenciados como estudos de comportamento informacional. Finalmente os estudos que contemplam o contexto sociocultural dos usuários de informação, se aproximam do paradigma social da CI. Porém, ainda são escassas as publicações sobre estudos de usuários realizados conforme esta abordagem para se apresentar um panorama específico e exemplos de estudos concretos.  Nesta disciplina, procuraremos apresentar as pesquisas em desenvolvimento na ECI/UFMG a partir desta abordagem e estimular o desenvolvimento de novas pesquisas sob esse enfoque, denominado também como estudos de práticas informacionais.

Objetivos:

A disciplina pretende possibilitar aos profissionais da informação:

  • identificar os principais tipos de estudos de usos e usuários quanto aos modelos teóricos, técnicas de pesquisas e resultados esperados / obtidos;
  • perceber as contribuições e teorias sociológicas, psicológicas, antropológicas, cognitivas, comunicacionais e outras para a realização de estudos de usos e usuários da informação;
  • propor e executar pesquisas sobre usos e usuários da informação articulando diferentes contribuições teóricas e em relação a diferentes contextos.

Ementa:

Usos e usuários da informação como campo da ciência da informação. Terminologia (usuário, usuário potencial, não-usuário; necessidade, demanda, uso). Estudos de usos e de usuários como áreas de pesquisa e base para o desenvolvimento de serviços (fundamentação teórica, aspectos metodológicos, abordagens dos estudos). Interface usuário/tecnologia. Comportamento informacional e práticas informacionais.

 

Referências :

 

[1] ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. A Perspectiva de estudos sobre os sujeitos na Arquivologia, na Biblioteconomia e na Museologia. Em Questão. Revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS Porto Alegre, v. 19, n.1 , p. 213 - 238 , jan./jun. 2013.
[2]

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Estudos de usuários conforme o paradigma social da ciência da informação: desafios teóricos e práticos de pesquisa. Informação & Informação, Londrina, v. 15, n. 2, p. 23 - 39, jul./dez. 2010.

[3] texto ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila . Estudos de usuários: pluralidade teórica, diversidade de objetos. Comunicação oral apresentada ao GT03 - Mediação, Circulação e Uso da Informação do IX ENANCIB. In: Anais do IX ENANCIB , 2008.
[4]  

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Estudos de usuários: uma abordagem na linha ICS. In: REIS, A. S e CABRAL, A. M. R. (org.) Informação, Cultura e Sociedade: interlocuções e perspectivas. Belo Horizonte: Novatus, 2007. p. 81-100.

[5]

BAPTISTA, Sofia Galvão; CUNHA, Murilo Bastos da. Estudo de usuários: visão global dos métodos de coleta de dados. Perspectivas em Ciência da Informação , Belo Horizonte, v. 12, n. 2, maio/ago./2007. p. 168-184.

[6]

BARBOSA, Ricardo. Uso de fontes de informação para a inteligência competitiva: um estudo da influência do porte das empresas sobre o comportamento informacional. Encontros Bibli : Rev. Eletr. Bibliotec. Ci. Inf. Florianópolis, n. esp., 1º sem. 2006.

[7]

BARROS, Dirlene Santos e NEVES, Dulce Amélia de Brito. O processo de Busca de Informação no Arquivo Público do Estado do Maranhão: estratégias metacognitivas desenvolvidas pelos usuários. In: FREIRE, Gustavo Henrique de Araújo (org.). A responsabilidade social da Ciência da Informação , Anais do X Enancib, João Pessoa, out. 2009, p. 1075-1091.

[8]

BETTIOL, Eugênia Maranhão. Necessidades de informação: uma revisão. Revista de Biblioteconomia, Brasília, v. 18, n. 1, jan./jun. 1990, p. 59-69. Disponível em http://164.41.105.3/portalnesp/ojs-2.1.1/index.php/RBB/article/view/616/614

[9] BLUMER BLUMER, Herbert. A natureza do interacionismo simbólico. In: MORTENSEN, C. D. Teoria da comunicação: textos básicos. São Paulo: Mosaico, 1980. p. 119-138.
[10]   CASE, Donald Owen. Looking for information: a survey of research on information seeking, needs, and behavior. San Diego, Calif.: Academic Press, 2002. 350 p.
[11] ChooCap2

CHOO, C. W. A organização do conhecimento : como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Editora Senac, 2003. cap. 2 , p. 63-120.

[12] CONWAY CONWAY, Paul. Facts and Frameworks: An Approach to Studying the Users of Archives. American Archivist. Vol. 49. Fall 1986. p. 393-407.
[13] CRONIN CRONIN, Blaise. The sociological turn in information science. Journal of Information Science, 34 (4) 2008, pp. 465–475.
[14]

CUNHA, Murilo Bastos da. Metodologias para estudo dos usuários de informação científica e tecnológica. Revista de Biblioteconomia de Brasília , Brasília, v.10, n.2 (número temático sobre estudo e tratamento de usuários da informação), p. 5-20, jul./dez. 1982.

[15] DAY

DAY, Ronald E. Death of the User: Reconceptualizing subjects, objects, and their relations. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 62, n. 1, p.78–88, 2011. Disponível em: http://ils.indiana.edu/faculty/roday/articles/Death_of_the_user.pdf

[16]  

DERVIN, Brenda. An overview of Sense-Making research: Concepts, methods, and results to date. In: Proceedings of Annual Meeting of the International Communication Association. Dallas, TX: International Communication Association, may 1983.

[17] DervinENilan

DERVIN, Brenda; NILAN, Michael. Information needs and uses. In: WILLIAMS, Martha E. (ed). Annual Review of Information Science and Technology , v. 21, Chicago , IL : Knowledge Industry Publications, 1986, p. 03-33.

[18]  

DIAS, Cláudia. Usabilidade na web : criando portais mais acessíveis. Rio de Janeiro: Alta Books, 2003. Cap. 2 e 3.

[19] DIAS Grupo Focal

DIAS, Claudia Augusto. Grupo focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Informação & Sociedade: estudos, João Pessoa, v. 10, n. 2, p. 141-158, 2000. Disponível em http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/330/252

[20]

FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto. Novos paradigmas e novos usuários da informação. Ciência da Informação , Brasília. v. 25, n. 2, p. 217-223, maio/ago., 1996.

[21] Figueiredo1994

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Estudos de usuários. In: ________. Estudos de uso e usuários da informação . Brasília: IBICT, 1994. cap. 1. p. 7-19 e cap 5. p. 65-85.

[22]   FISHER, Karen E.; ERDELEZ, Sanda; MCKECHNIE, Lynne. Theories of information behavior. Medford, N.J.: Published for the American Society for Information Science and Technology by Information Today, c2005. 431 p. (ASIST monograph series)
[23]

FURNIVAL, Ariadne C. M. e ABE, Veridiana. Comportamento de busca na Internet: um estudo exploratório em salas comunitárias. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n. 25, 1º. sem./2008.

[24]  

GANDRA Tatiane Krempser. Inclusão digital na terceira idade: Um Estudo de Usuários sob a Perspectiva Fenomenológica. Belo Horizonte: ECI/UFMG, 2012. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação).

[25]

GARCEZ, Eliane M. S. e RADOS, Gregório, J. V. Necessidades e expectativas dos usuários na educação a distância: estudo preliminar junto ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina. Ciência da Informação , Brasília, v. 31, n. 1, p. 13-26, jan./abr. 2002.

[26] GASQUE e COSTA GASQUE, Kelley C. G. Dias, COSTA, S. M. de Souza. Evolução teórico-metodológica dos estudos de comportamento informacional de usuários. Ciência da Informação, Brasília, v. 39, n. 1, jan./abr. 2010, p. 21-32. Disponível em http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/view/1206/1355
[27]   GONZÁLEZ TERUEL, Aurora. Metodos y tecnicas para la investigacion del comportamiento informacional. Espana: Ediciones Trea, 2012. ISBN 9788497046718
[28]  

GONZÁLEZ TERUEL, Aurora. Los estudios de necesidades y usos de la información: fundamentos y perspectivas actuales. Espana: Ediciones Trea, S. L., 2005.

[29]

JARDIM, José Maria e FONSECA, Maria Odila. Estudos de usuários em arquivos: em busca de um estado da arte. Datagramazero , v. 5, n. 5, artigo 04, out. 2004. Disponível em http://dgz.org.br/out04/Art_04.htm

[30]  

KUHLTHAU, Carol. Seeking meaning: a process approach to library and information services. Westport: Libraries unlimited, 1993.

[31]

KULTHAU, C. Inside the Search Process: Information Seeking from the User's Perspective, Journal of the American Society for Information Science , vol. 42, pp. 361-371, 1991. Disponível em http://comminfo.rutgers.edu/~belkin/612-05/kuhlthau-jasist-91.pdf

[32]   LE COADIC, Yves-François. A ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos, 1996.
[33] TEXTO LIMA

LIMA, Ademir Benedito Alves de. Estudos de usuários. In: ________. Aproximação crítica à teoria dos estudos de usuários de biblioteca . Londrina: Embrapa-CNPso; Brasília: Embrapa-SPI, 1994. p. 46-85.

[34]   MARTUCCI, E. M. A abordagem sense-making para estudo de usuário . Documentos ABEBD3: Porto Alegre, 1997
[35] MOSTAFA, Solange; LIMA, Admir; MARANON, Eduardo. Paradigmas teóricos da biblioteconomia e ciência da informação. Ciência da Informação , Brasília, v.21, n.3, p. 216-222, set./dez. 1992. Disponível em http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/view/1295/930
[36]  

NASCIMENTO, Luciano Prado Reis. O usuário e o desenvolvimento de sistemas . Florianópolis: Visual Books, 2003. Cap. 1/3.

[37]

NASCIMENTO, Maria de Jesus, WESCHENFELDE, Sara. Necessidade de informação dos vereadores de Florianópolis: estudo de usuário. Informação & Sociedade : estudos. V. 12, n. 1, 2002.

[38] Nascimento Usuarios Brasil NASCIMENTO, Maria de Jesus. Usuário da informação como produção científica e disciplina curricular: origem dos estudos e o ensino no Brasil. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação,Campinas, v.8, n. 2, p. 41-71, jan./jun. 2011– ISSN: 1678-765X. Disponível em http://polaris.bc.unicamp.br/seer/ojs/viewarticle.php?id=295&layout=abstract
[39]  

PEREIRA, Maria Nazaré Freitas; GOMES, Hagar Espanha; PINHEIRO, Lena Vânia Ribeiro; OLIVEIRA, Regina Maria Soares. A aplicação da técnica do incidente crítico em estudos de usuários da informação técnico-científica: uma abordagem comparativa. In: FOSKET, D. J. et al. A contribuição da psicologia para o estudo dos usuários da informação técnico-científica . Rio de Janeiro: Calunga, 1980. p. 43-71.

[40]  

PESSOA, Marina Torres. A relação entre ouvintes assíduos e o rádio: um estudo de usuários da informação a partir de uma perspectiva compreensiva. Belo Horizonte: ECI/UFMG, 2010. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação).

[41] RabelloREB

RABELLO, Odília Clark Peres. O usuário nos currículos de Biblioteconomia. Revista da Escola de Biblioteconomia UFMG , Belo Horizonte, v. 10, n. 2, p. 179-192, set. 1981. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/reb/

[42]  

RABELLO, Odília Clark Peres. O conteúdo do campo de conhecimento relativo a usuário de biblioteca. In: ________. Análise do campo de conhecimento relativo a usuário de biblioteca . Belo Horizonte: EB/UFMG, 1980 (dissertação, mestrado em Administração de Bibliotecas). Cap. 4. p. 18-93.

[43]   REA, L.M.; PARKER, R.A. Metodologia de Pesquisa: do planejamento à execução. São Paulo: Pioneira, 2002.
[44] Praticas Informacionais ROCHA, J. A. P.; SIRIHAL DUARTE, Adriana Bogliolo; PAULA, Claudio Paixão Anastácio de. Modelos de práticas informacionais. EM QUESTÃO (UFRGS. IMPRESSO), v. 23, p. 36-61, 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.19132/1808-5245231.36-61>
[45]  

ROCHA, Janicy Aparecida Pereira Rocha. (In)acessibilidade na Web para pessoas com deficiência visual: um estudo de usuários à luz da Cognição/Ação Situada. Belo Horizonte: ECI/UFMG, 2013. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação).

[46] SAVOLAINEN 1995

SAVOLAINEN, Reijo. Everyday Life Information Seeking: Approaching Information Seeking in the Context of “Way of Life”. Library & Information Science Research, v. 17, p. 259-294, 1995.

[47]   SAVOLAINEN, Reijo. Information behavior and information practice: reviewing the “umbrella concepts” of information-seeking studies. Library Quarterly, v. 77, n. 2, p. 109–132, 2007
[48] ENEU SIRIHAL DUARTE, Adriana Bogliolo; ARAUJO, C. A. A. ; PAULA, Cláudio Paixão Anastácio de . PRÁTICAS INFORMACIONAIS: desafios teóricos e empíricos de pesquisa. In: I Encontro Internacional de Usos e Usuários da Informação, 2017, Fortaleza. Usuários da Informação: perspectivas, demandas e ações, 2017. v. 1. Disponível em: <http://www.eneu2017.ufc.br/index.php/eneu/1/paper/viewFile/60/31>
[49] SIRIHAL DUARTE Grupo Focal SIRIHAL DUARTE, Adriana Bogliolo. Grupo focal online e offline como técnica de coleta de dados. Informação e Sociedade: estudos. João Pessoa, v. 17, n. 1, p. 81-95, jan./abr. 2007. Disponível em http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/487/1467
[50]   SPINK, Amanda; COLE, Charles. New directions in human information behavior. Dordrecht, The Netherlands: Springer, c2006. 254 p. (Information science and knowledge management; v. 8.)
[51]   TABAK, Edin. Jumping between context and users: A difficulty in tracing information practices.Journal of the Association for Information Science and Technology, volume 65, Issue 11, pages 2223–2232, November 2014.
[52] TALJA information seeking

TALJA, Sanna. Constituting "information" and "user" as research objects: a theory of knowledge formations as an alternative to the information man-theory. In: VAKKARI, Perti; SAVOLAINEN, Reijo; DERVIN, Brenda (Eds). Information seeking in context. Londres: Taylor Graham, 1996, p. 67-80.

[53]   WILSON, Thomas. Alfred Shutz, phenomenology and research methodology for information behaviour research. New Review of Information Behaviour Research, 2003. Disponível em http://informationr.net/tdw/publ/papers/schutz02.html
[54]   WILSON, T. D. Information behaviour: an interdisciplinary perspective. Information Processing and Management, v. 33, n. 4, 1997, p. 551-572. Disponível em: http://informationr.net/tdw/publ/infbehav/cont.html Acesso em 26/mar/2009.
[55]

WILSON, T. D. Human Information Behavior. Informing Science . v. 3, n. 2, 2000, p. 49-54.

             

 

Slides e Material de curso

Cronograma
Calendário 2017/2
Aula 1: Desenvolvimento do campo / Métodos e técnicas de coletas de dados
   
   
   
   
   
   

 

Processos avaliativos

Serão avaliados na disciplina:

- Participação: (25 pontos)
------- em sala (incluindo entrega dos exercícios nos prazos solicitados);
------- em fórum virtual;
- Relatos das defesas de dissertações e teses; (25 pontos)
- Apresentação de um seminário; (25 pontos)
- Participação no estudo de usuário proposto. (25 pontos)